Criança comendo bem

Um dois, feijão com arroz. Três, quatro, salada no prato!

Criança comendo bem

Um dois, feijão com arroz. Três, quatro, salada no prato!

 

A maioria das crianças não é muito fã de saladas, verduras e legumes. Mas, existem alguns alimentos que atraem a atenção e a criatividade dos pequenos, portanto, optar por eles é uma forma de incentivá-los a experimentar.

Os pais devem dar preferência a alimentos novos – junto aos que a criança já está acostumada a comer – em cada refeição. Assim, é mais fácil para ela distinguir o sabor e gostar do alimento.

Outra dica é montar pratos bonitos e bem coloridos, afinal, sabemos que as crianças adoram as cores, não é? Além disso, é ótimo conversar com o pequeno, explicar de onde veio o alimento e, até mesmo contar uma historinha para despertar sua curiosidade. Caso haja recusa num primeiro momento, é preciso tentar outras vezes, porque com o tempo ela passará a apreciar a comidinha.

Mas, lembre-se: nunca devemos obrigá-las a comer, pois isso pode fazer com que elas tenham aversão a estes alimentos. E esse não é o nosso objetivo!

 

O pimpolho está com alguns quilinhos a mais?  Reorganize os hábitos alimentares!

Na hora de mudar a alimentação, é essencial o envolvimento de toda a família e uma mudança no estilo alimentar das pessoas da casa. Desta maneira, a criança tende a seguir o exemplo dos pais na hora de comer.

Também não devemos colocar a criança em uma dieta rígida – salvo em casos de recomendação médica, mas mesmo nesta situação é necessário fazer a mudança aos poucos e reduzir o consumo gradual de gorduras na dieta, nunca eliminando totalmente os doces. Afinal, um docinho não faz mal a ninguém!

Nos finais de semana, as guloseimas devem ser limitadas, mas não proibidas. Se isso acontecer, aumentam-se as chances da criança querer “comidas gordas”.

 

Alimentação saudável de mãe para filho

Desde a gestação, a alimentação da mãe já pode influenciar no peso do bebê. Estudos mostram que a ingestão alimentar durante a gravidez exerce mais influência no hábito alimentar da criança quando comparada com o período pós-natal.

Sabendo disto, as futuras mães devem tomar cuidado com a alimentação para garantir boas influências ao bebê. Aumentar a demanda de bons nutrientes para desenvolvimento do feto, como o ácido fólico, ferro, cálcio e proteína é uma sugestão.

A mamãe também deve se alimentar de forma variada, com boas fontes de proteína – de origem vegetal e animal – e de fibras, além de ingerir diversas frutas e verduras.

Vale lembrar que a orientação de um nutricionista pode ajudar a manter uma alimentação saudável e favorecer o desenvolvimento do seu bebê!

 

www.swimcolors.com.br

 

Deixe uma resposta