Trajes de natação: de quilos para gramas

Você já se imaginou nadando usando cinco quilos de roupa?? Em 1900 os trajes de natação tinham todo esse peso. Imagina desenvolver uma alta performance atlética ou simplesmente aprender a nadar? Um desafio e tanto, não acham?

Anos depois, os maiôs começaram a ser produzidos com seda, uma grande mudança para o cenário da natação. Já na década de 50, as peças passaram a ser de nylon lycra, ou seja, o peso foi substituído por tecidos extremamente leves.

Nas Olimpíadas de Barcelona, em 1992, ficou de lado o conceito de que quanto mais leve a roupa de natação, melhor. Assim, surgiu o modelo S 2000, elaborado de microfibra e elastano.

Quatro anos mais tarde, nas Olimpíadas de Atlanta, foi lançado o maiô Aquablade. A peça, além de apresentar menor resistência na água por conta do tecido listrado, com aplicações de resinas que repelem a água, também ajudou na velocidade dos atletas, permitindo que os nadadores deslizassem com maior facilidade.

Em 2000, surgiu o maiô Fast Skin, utilizado até hoje em muitas competições. A meta era imitar o desenho do tubarão, uma das criaturas mais rápidas dentro d’água. Produzido com base nos dentículos (microscópicas escamas com arestas) da pele do animal, a roupa dá impulso extra ao nado. Feita em três dimensões em vez de plana, como as anteriores, a roupa tem um volume baseado na média dos corpos dos atletas. Para melhorar a elasticidade, o Fast Skin é composto de fibra de nylon com elastano. O novo vestuário trouxe imediatamente resultados positivos para os atletas. Muitos recordes mundiais e medalhas foram conquistados por nadadores que utilizam o produto.

Atualmente, alunos de academias e atletas (sejam crianças ou adultos), contam com a tecnologia em design de roupas, que fazem com que a atividade física seja cada vez mais prazerosa, auxiliando os praticantes na busca de melhores resultados dentro d’água.

A tecnologia na Swim Colors não fica para trás. Os tecidos são leves e possuem proteção UV+50. A modelagem das peças é outro destaque, já que as roupas foram pensadas para proporcionar conforto e uma maior liberdade de movimentos, evitando problemas recorrentes neste tipo de produto, como os famosos “bolsões de água” na parte posterior. Além disso, os maiôs têm entre 100 e 150 gramas. É até difícil comparar as roupas esportivas de hoje com as peças de 1900. Afinal, lá se vão quase 5 quilos. Ufa!

 

O americano Johnny Weissmuller, ganhador de cinco medalhas de ouro nos Jogos de 1924 e 1928, usava uma roupa inteira de algodão: molhada, ficava pesada e gelada:

dsfgh

Já peças mais modernas são feitas de 100% poliéster, leves e resistentes:

Sem título-1
Maiô Modelo “Maria Clara” – Coleção Flores de Maria/ Sunga Modelo “Rockstar” – Coleção Quero Ser

 

 

Curtiu nossas peças? Entre no site da SwimColors e conheça toda nossa coleção!

Um comentário em “Trajes de natação: de quilos para gramas

Deixe uma resposta