Alergia não é um bicho de 7 cabeças


Alergia não é um bicho de 7 cabeças como pensávamos! Você sabia que se as alergias forem tratadas ainda na infância, as chances de diminuírem ou até desaparecerem é muito maior do que se tratadas na fase adulta?

A médica alergista curitibana Adriana Vidal Schmidt conta que entre as alergias mais frequentes está a rinite alérgica (dos famosos “meu nariz está trancado”, “não aguento mais espirrar”, “meu nariz não para de escorrer”), que pode durar por longos períodos.

A rinite não é uma doença grave, mas ela pode afetar bastante a qualidade de vida e levar a diminuição do rendimento escolar das crianças”, explica a médica.

No caso da asma os sintomas são um pouco diferentes. A criança vive uma novela com episódios repetidos de tosse, chiado no peito ou falta de ar, ou seja, a atenção dos pais para este caso deve ser redobrada.

Das alergias de pele, a dermatite atópica, conhecida popularmente por eczema, é uma das mais comuns. Ela aparece quando a pele fica ressecada e inflamada, especialmente nas dobrinhas de pele ou nas bochechas, no caso dos bebês.

“Usar muito sabonete, tomar banhos quentes e demorados e falta de hidratação da pele são fatores que ajudam no desenvolvimento da alergia”, relata Adriana.

Outra alergia muito frequente nas crianças é a urticária, lesões vermelhas e inchadas na pele causadas por infecções, medicamentos e até alimentos.


Diga tchau as alergias

Dura na queda, a alergia costuma apresentar períodos de melhora e de piora ao longo dos anos. Isso é bem normal! Por isso, o diagnóstico ainda na infância é muito importante.

“A principal recomendação é fazer os testes alérgicos e evitar o contato com o que causa alergia. É preciso também que seja feito o uso das medicações preventivas, como as inalações, no caso da asma, junto ao uso de medicamentos antialérgicos via oral, se necessário”, explica Adriana.

E aí vai uma dica: para quem sofre de alergias a ácaros, por exemplo, pequenas medidas, como retirar carpetes, tapetes e bichos de pelúcia do quarto, evitar que o pó se acumule nos móveis e limpar a casa com pano úmido, podem ajudar bastante.

As alergias raramente colocam uma vida em risco, mas com certeza incomodam muita gente, então por que não controlar?

 

Deixe uma resposta